Usabilidoido: Menu Principal

English Website


O Inventário do website

Ô coisa chata de fazer! Mas, como fazer o re-design de um site sem conhecê-lo como a palma da sua mão? Quero propor uma nova organização para o website da UFPR, mas antes preciso saber exatamente o que estarei organizando. Para isso, fui clicando em todos os links que haviam na página inicial e nas secundárias e anotei todos os pedaços de conteúdo que encontrei (content chunks, em inglês).

Se por acaso, estivesse arquitetando um website que ainda não existe, iria entrar em contato com todos os manda-chuvas do projeto (stakeholders) para descobrir o que eles pretendem colocar dentro do website. Seria mais trabalhoso, mas não haveria escolha.

O Inventário de Conteúdo tem só 5 páginas porque economizei verbo. Poderia ter sido mais descritivo em cada item, mas já que esse inventário foi escrito só para mim e não para ser compartilhado com uma equipe, nem discutido com manda-chuvas, escrevi só o necessário para ativar minha memória. Em cima desse documento, rabiscarei rótulos e agrupamentos menores. Depois, acho que vou usar um método chamado Diagrama de Afinidades (affinity diagram) para criar agrupamentos maiores. O objetivo é chegar na taxonomia principal do website. Falarei mais disso na sequência.


Dicas

Siga-me no Twitter, Facebook, LinkedIn ou iTunes.

Autor

Frederick van Amstel - Quem? / Contato - 14/09/2004

Palavras-chave

arquitetura    informação    taxonomia    inventário    conteúdo    

Opções



Comentários

Discussão
Leandro M Ferreira
20/09/04 às 06:10

é nessa hora que me atrapalho, não consigo muito bem relacionar o conteúdo de modo que fique claro onde está o pedaço pelo grupo formado.


Discussão
Fred
20/09/04 às 08:31

Bem Leandro, é nesse tipo de coisa que me valeu à pena fazer a faculdade de Jornalismo. Temos exercícios de redação intensivos, toda semana produzindo algum texto. Quando o professor avalia, ele costuma "quebrar" o texto em fragmentos menores e usar rótulos para poder especificar a sua crítica ou elogio.

Para melhor nisso, sugiro prestar atenção extra em alguns detalhes publicados juntos com as notícias de jornais impressos: os títulos, os chapéus, os intertítulos, gravatas e outras informações que não fazem parte do corpo da matéria.

Sugiro também a leitura recomendada (em inglês) da seção chunking (compartimentação) do WebReference:

http://www.d.umn.edu/itss/support/Training/Online/webdesign/usability.html


Discussão
Wellington Saamrin
29/04/05 às 15:21

Fred, Trabalho em Brasilia e estou no projeto de portal de uma organização governamental. Como você também entrei em todas as páginas que o site tem e o meu inventário ficou gigante porque o conteúdo publicado pelo site também é gigante. O meu arquivo word ficou com 147 páginas. Olhei o seu arquivo para tirar uma base e assim como você não coloquei detalhes no documento. Fiquei curioso com o Diagrama de Afinidades que você citou. Mesmo sabendo que deve haver uma pilha de resultados no Google gostaria de uma indicação sua de artigos sobre o assunto. É possível?


Discussão
Fred
30/04/05 às 07:54

O diagrama de afinidades é bem simples. Basta fazer uma lista de post-its (aquelas etiquetas amarelas) como todos os assuntos que tem no Inventário (rótulos bem curtos) e colar todos num quadro branco, ou parede. Depois é só ir aproximando os que tiverem mais em comum entre si. O diagrama de afinidades permite que outros profissionais discutam e façam o trabalho juntos.

Porém, como estava sozinho, nem cheguei a usar o diagrama de afinidades no Inventário do Conteúdo na ocasião. Acho que não é produtivo quando se tem grande variedade de conteúdo.

Nesse projeto, preferi usar o diagram de afinidades nas tarefas geradas por um grupo de foco com usuários. A taxonomia rabiscada estava muito mais de acordo com o que os usuários esperavam do que com o que eu tinha em mãos para colocar no site. Tentei manter sua idéia básica durante todo o projeto, sempre validando as mudanças.

http://www.usabilidoido.com.br/grupo_de_foco_e_excitante.html


Discussão
Wellington Saamrin
01/05/05 às 11:55

Fred, Fiz uma coisa chamada Card Sorting e vi que tem a mesma proposta que o Diagrama de Afinidades. É bom saber que a tarefa que eu realizei não destoou do que você explicou. Abraço e parabéns pela iniciativa!


Discussão
Fred
02/05/05 às 09:38

Wellington, o resultado do Card-sorting é criar ou validar agrupamentos e rótulos. Diagrama de Afinidades serve só para criar agrupamentos e não envolve o usuário, mas pode ser ferramenta de colaboração entre a equipe.

Costumo usar o diagrama de afinidades e validar os agrupamentos no card-sorting. Card-sorting aberto gera muita variedade, fica difícil de agrupar depois.


Discussão
Simone
09/06/05 às 12:54

Pessoal

Preciso desenvolver um proposta para uma nova taxonomia em um site. Utilizei o MindManager para mapear o conteúdo atual do site, mas fica a pergunda, por onde começo?
Nunca fiz este trabalho de desenvolver uma arquitetura de informação, taxonomia. Já li muito sobre o assunto, mas na prática estou meio perdida. Podem me ajudar a começar?
Preciso fazer reunios com a area de negocio? o que devo perguntar?


Discussão
Fred
09/06/05 às 13:15

Simone, sempre que você não souber o que fazer pra avançar, volte para o começo do começo: as necessidades do usuário. Pra quê ele precisa dessa taxonomia?

A partir daí, você faz o inventário do conteúdo que descrevi neste post. Em seguida, cria hipóteses de tipos de taxonomia (por tarefas, por assuntos, por público-alvo e etc) e valida em card-sortings.

No meu TCC tem todo o procedimento completo e bem detalhado:

http://www.usabilidoido.com.br/design_centrado_no_usuario_para_o_website_da_universidade_federal_do_parana.html




Comente.






(aguarde que é demorado mesmo...)


Você merece.

Assine nosso conteúdo e receba novidades sem sair de casa!

Atualizado com o Movable Type.

Alguns direitos reservados por Frederick van Amstel.

Apresentação do autor | Consultoria | Portifólio | Política de Privacidade | Contato