Usabilidoido: Menu Principal

English Website


Grande evento de Web no Paraná

O assunto mais recorrente no evento foi a propaganda viral, aquela que é tão boa que os próprios usuários ajudam a divulgar.

marketing_viral.png

Tô no mercado curitibano há quatro anos e ainda não tinha visto nada parecido por estas bandas, sinal de que a coisa tá melhorando. Apesar da divulgação restrita regional, o 1° Web Masters reuniu mais de 200 pessoas por três dias seguidos. O assunto principal foi publicidade online, provavelmente por interesse da organizadora do evento em incentivar a venda de espaço publicitário no seu portal regional.

No segundo dia, tivemos a presença de 11 profissionais de mídia online do mercado de São Paulo para debater questões levantadas por Ricardo Almeida (I-group). AlmapBBDO, BuscaPé, Age, Ogilvy, JW Thompson, África, Dez Minutos, RMG, I-bizz, Euro, Chleba, tavam todos lá. Tinha tanta gente no debate que cada um só pode falar um pouquinho e mesmo assim só terminou 1 hora depois do previsto.

No intervalo, tive o prazer de conhecer pessoalmente um dos profissionais que me influenciam, o Michel Lent Schwartzmann da 10 Minutos. Claro que não perdi a oportunidade para uma entrevista em áudio:

Entrevista sobre Publicidade Online com Michel Lent [MP3] quase 10 Minutos ;)

Novos formatos rich-media

Antes do debate, João Binda contou sua experiência na AlmapBBDO, onde faz a ponte entre a mídia offline e online. A empresa cuida de contas como Pepsi, Linhas Aéres Gol, Volkswagen e etc. Hoje, quase toda campanha que sai da Almap inclui ações na Internet. As vantagens do meio são a segmentação, modernindade, agilidade no gerenciamento, visibilidade garantida e as oportunidades de inovação. Os clientes estão percebendo isso e pouco a pouco investindo cada vez mais.

Ele mostrou uma série de cases da agência que aproveitam novos formatos, as chamadas rich-media. O full-banner padrão está perdendo espaço para o expanding-banner, que é igual até o usuário passar o mouse por cima. Num deles, o usuário passava o mouse por cima e imediatamente descia uma tela para especificar os detalhes para uma viagem de avião pela Gol.

Depois vieram outros formatos mais intrusivos: dhtml checkm8, intersticiais, video commercial, superstitial e por aí vai. Basicamente, eles se colocam em cima do conteúdo do portal que o usuário está acostumado a ler por alguns segundos. O vídeo commercial carrega enquanto o usuário lê o site e quando fecha a página, pula o popup e exibe o vídeo. Para veicular anúncios como esse, é preciso pagar muito e ter uma boa relação com o veículo.

Durante o debate Ricardo Almeida levantou se esses formatos poderiam incomodar os usuários, mas todos os publicitários concordaram que não havia risco desde que houvesse um botão para fechar e o anúncio fosse de qualidade.

Minha opinião sobre o assunto é que a propaganda na Internet deve ser o mínimo intrusiva o possível. Internauta não tem paciência, Web não é televisão. Não é à toa que o banner já era. No futuro, prevejo que a propaganda vai estar cada vez mais integrada ao conteúdo, como merchandising. Um exemplo é o site-piada The Legend of Omaha criado pela Almap para divulgar um novo carro off-road da Volkswagen.

Screenshot do site The Legend of Omaha

Marketing Viral

No primeiro dia, Ricardo Almeida havia explicado que, quando a publicidade tem conteúdo, o próprio usuário faz a replicação da mensagem e convida amigos a vê-la. Através da curiosidade, inovação, comoção ou culpa, o usuário pode ser atraído para tais peças e, se tiver algum benefício, certamente irá propagá-la mais ainda.

Durante todo o evento, foram exibidos diversos daqueles vídeos curtos de humor rasgado que vemos volta e meia cair na nossa caixa postal. Pelo meio viral, é possível veicular peças mais ousadas, porque é o próprio usuário que escolhe quem vai receber. Os vídeos podem ser produzidos com menos recursos e mesmo assim ter um impacto muito bom para a divulgação da marca.

Outro dia um amigo me mostrou um vídeo de um cara que entrou cheio de bombas num carro e estacionou em frente a um restaurante. O homem detonou os explosivos ao invés de quebrar tudo em volta, o carro parecia não ter sofrido grandes estragos. Polo: pequeno, mas seguro. A Volkswagen não admite ter produzido, mas tenho certeza que foram eles.


Dicas

Siga-me no Twitter, Facebook, LinkedIn ou iTunes.

Autor

Frederick van Amstel - Quem? / Contato - 09/06/2005

Palavras-chave

publicidade    viral    rich-media    interatividade    

Opções



Comentários

Discussão
Mara
10/06/05 às 17:24

Deveriam ter reservado um dia só para este debate, que valeu pelo evento inteiro.


Discussão
Toninho
14/06/05 às 15:55

Por falar em MArketing Viral.
Saca só esse hotsite que a DM9 criou pra SuperBonder. Nunca vi idéia tão boa.

http://infectous.plugin.com.br/reality/reality.html

Abraços.


Discussão
Juliana
18/01/06 às 09:48

Ola , bom dia !!!

Preciso saber em que dia se comemora o Dia do WEB MASTER !!!!
Vocês podem me ajudar ?

Atenciosamente

Juliana




Comente.






(aguarde que é demorado mesmo...)


Você merece.

Assine nosso conteúdo e receba novidades sem sair de casa!

Atualizado com o Movable Type.

Alguns direitos reservados por Frederick van Amstel.

Apresentação do autor | Consultoria | Portifólio | Política de Privacidade | Contato