Usabilidoido: Menu Principal

English Website


Faltam horizontes, sobram espelhos

Muitos dizem como devemos ser, mas poucos deixam-nos pensar por conta própria.

rua_noturna.jpg

Quem vive no agito de uma grande nunca tem tempo nem lugar para refletir profundamente. Já frizei a importância do tempo, agora vou frizar a importância do lugar. O crescimento das cidades faz com que as florestas, campos e rios sejam substituídos por prédios, estacionamentos e valetas a céu aberto. Aliás, céu fechado, pois mesmo sem nuvens, não conseguimos ver as estrelas à noite, devido ao excesso de luz que os postes emitem. Essa nova paisagem não é propícia para a reflexão. Tudo quer chamar a sua atenção. Caminhe comigo nesse podcast:

Faltam horizontes, sobram espelhos [MP3] 6 minutos

É por esse motivo que os games fazem tanto sucesso. Eles realmente permitem que você imagine como você poderia ser, diferente do que você já é. Entretanto, se os modelos que os games oferecem não passam de terroristas sem causa armados até os dentes, fica difícil haver genuíno crescimento pessoal.

Todo ser vivo deseja evoluir, é uma tendência natural pela sobrevivência da espécie. É por isso que as pessoas gostam de evoluir personagens em RPGs, escrever diários, estudar, ganhar dinheiro e etc. Porém, cada uma dessas atividades desenvolve certas habilidades. O que estou observando no podcast, é que faltam situações propícias para o desenvolvimento de habilidades como imaginação, inteligência emocional, auto-crítica, arte, questionamento filosófico, religião verdadeira e etc.

O que essa constatação tem a ver com o design de interface? Bem, somos parte dessa grande máquina. Podemos continuar reproduzindo esse modelo anti-reflexão ou não. Sempre que posso, escolho construir horizontes ao invés de espelhos.


Dicas

Siga-me no Twitter, Facebook, LinkedIn ou iTunes.

Autor

Frederick van Amstel - Quem? / Contato - 25/07/2005

Palavras-chave

reflexão    crise    

Opções



Comentários

Discussão
Duda
25/07/05 às 14:05

po cara, legal essa tua iniciativa de colocar essa parada de som, eu já passei por situações de ter esse sentimento, é realmente inspirador isso , se voce quiser posso ta fazendo uma gravação dessas pra voce, falar como é a situação daqui da minha cidade "Recife" parabens, pela iniciativa, sua descrição foi maravilhosa, adoro seu blog, e indico para muita gente, há sentimento em tudo que tu faz!! isso é massa!

duda. um fã


Discussão
Rafael
25/07/05 às 15:26

Só imagino se alguém vê você caminhando e falando sozinho no meio da rua...no mínimo estranho...

Sobre a parte dos celulares e toda a propaganda tenho a dizer que hoje a sociedade condiciona as pessoas a terem uma vida a qual não sobra muito tempo para realmente pensar, são muitas obrigações e "papéis("imagem")" para manter.

Mais. Excelente lembranças que eu tenho são de algumas camminhadas assim. Moro em Ponta Grossa, 100km de Curitiba e lembro com muito prazer de algumas vezes em que em uma tarde de sábado ou domingo caminhei por volta de 1 a 2 horas por ruas calmas...somente barulho de árvores, pássaros, isso é super motivador.


Discussão
Mauro
25/07/05 às 22:53

Rapaz...

Somos os únicos que nos prostamos entre realidade e realização.
Somos presos ao tempo porque assim quisemos
Somos a própria chave da libertação.
Somos a interface do infinito. E está tudo em nossas mãos.

Conto com você para discutirmos os Nove Passos da Desconexão COnsciente.


Discussão
Luiz
15/08/05 às 17:57

Bom... se vc leu a caverna de Platão rsss... vc percebe o quanto ele já vislumbrava o excesso de espelhos, isso em uma sociedade que serve de espelho para a nossa civilização (que cria games e filmes de terrorismo). A Viviane Mosé (acho que é Viviane mesmo se não for me desculpe) falou ontem sobre a caverna (no fantástico isso é idem), e frisou de maneira equivocada que a arte (como Platão havia descrito) era mais duvidosa ainda, mas a realidade é que platão falava da estética sem ética a arte sem alma sem conteúdo para fins puramente decorativos. Tudo que vemos ao nosso redor passou pelo mundo das idéias o mundo da perfeição, mas o que esquecemos muitas vezes é que para que uma ideia se torne um reflexo perfeito do mundo ideal (a ética preenchendo a estética) é necessáiro que se passe por todas as etapas, uma gestação, para que isso ocorra. O homem é feito dos dois planos o plano das idéias e o plano do concreto do fisico, mas ele só se torna um ser divino quando interage de maneira harmonica nos dois mundos. Tudo que nossa civilização faz é tentar imitar (como macacos e papagaios) o que os verdadeiros sábios fizeram no passado. O movimento moderno iniciou um fato sem precedentes na história humana. ele ao mesmo tempo deu a possibilidade ilimitada do homem inquirir e racionalizar o mundo que o cercava mas arrancou (ou adulterou) o direito de imaginar, intuir, refletir, meditar, contemplar, etc. que levou estes mesmos homens, que são tratados como santos nas Universidades (quem disse que a ciência não tem dógmas?) e nas diversas áreas do conhecimento humano, a se aproximarem do ideal de conhecimento e dominio da vida humana, como homens sem instrumentos como os de hoje puderam teorizar e enunciar fatos dos quais alguns só começaram a ser estudados a pouco devido a limitação dos instrumentos?
Assim,concluindo, faltam horizontes aos que imitam, pois eles estão matando aqueles que ainda usam a imaginação e refletem e vislubram um mundo ideal e fazem com que uma idéia original se materialize no mundo das formas de maneira que todos se admirem e digam "porque eu não pensei nisso" o futuro, se continuar assim´, é uma terra de clones, como diria alguém "Just fake it"


Discussão
gabriela du saint
11/12/10 às 10:02

Ei, não gosto quando você diz que o espelho nos fala o que devemos fazer!
Isso não é verdade!
O espelho é mudo!
Ele é um servo, que apenas nos reflete quando nós não conseguimos!

Talvez sobrem espelhos e faltem olhos capazes de enxergar as reflexões!

Se você olha para o espelho e entende que deve fazer algo, não é culpa do espelho a sua compreensão!

O espelho serve para o exterior encontrar o interior!
Para que possamos nos conhecer de fora para dentro!

Ele nos coloca no limite da questão do amor: ele nos apresenta como sendo o outro e por vezes desconhecidos!

Conhecer é saber os defeitos e qualidades, e é isso que ele mostra! Ele não te DIZ quem você é, ele te MOSTRA como e o que VOCÊ VÊ!
Mesmo porque não somos apenas uma coisa, um esteriótipo... Somos olhos, braços, pernas, nariz!
Ele nos ajuda a ver doenças para irmos buscar a saúde! O que você vê quando se olha no espelho?

Se somos incapazes de amar aquela imagem, logo, somos incapazes de amar qualquer outra imagem de nós mesmos! Especialmente as que estão fora do espelho!

Tem algo muito curioso na bíblia que diz:
'Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam;
Bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam...
... E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também.
E se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam.
E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo.'

E se você fosse um assassino cheio de armas até os dentes? Não seria uma imagem digna de amor?
O amor seleciona ou é incondicional?

Devemos amar as pessoas e não os atos!

Com relação aos atos, cada um é responsável pelos seus!

Achemos o nosso melhor EU!
Gosto quando posso encontrá-lo nos espelhos!




Comente.






(aguarde que é demorado mesmo...)

Pegue um fruto.


Você merece.

Assine nosso conteúdo e receba novidades sem sair de casa!

Atualizado com o Movable Type.

Alguns direitos reservados por Frederick van Amstel.

Apresentação do autor | Consultoria | Portifólio | Política de Privacidade | Contato