Usabilidoido: Menu Principal

English Website


Relatórios para clientes

Quem trabalha com análise de usabilidade tem que ser bom em escrever relatórios. É possível até ganhar dinheiro vendendo. Bruce Tog destruiu o relatório de um de seus leitores porque estava horrível. Concordo com ele que é preciso antes de criticar, elogiar. Também é preciso fazer críticas construtivas, sugerir sugestões. Mas a chave do sucesso vai ser como isso está escrito, a linguagem.

Dois casos antagônicos de amigos com relatórios:

  1. Escreveu com termos técnicos típicos do seu próprio meio profissional e foi criticado pelo cliente por isso
  2. Encheu o relatório de linguiça, abusando de termos pomposos e frases de efeito e o cliente adorou

No primeiro caso, o cliente eram profissionais de TI. No segundo, era um administrador. O autor do segundo caso se deu bem porque conhecia muito bem o seu cliente. Investigou a relação do cliente com outros fornecedores e sabia que ele gostava de um vocabulário seleto, um texto mais elaborado.

Na minha experiência, uma dica para convencer é relacionar as sugestões com o retorno que sua implementação pode trazer. Falar sempre em ROI (Return On Investment), mesmo que não tenha competência para calcular algo preciso. Há ainda um receio muito grande de investir em usabilidade, porque é algo novo. Precisamos mostrar que não somos mais um abutre atrás de um pedaço do bife.

Nota: Ficou tosco esse final, mas dá um desconto aí... to morrendo de sono. Uaaahh.. boa noite.


Dicas

Siga-me no Twitter, Facebook, LinkedIn ou iTunes.

Autor

Frederick van Amstel - Quem? / Contato - 12/01/2004

Palavras-chave

relatório    relacionamento    clientes    roi    retorno    investimento    vermelho    

Opções



Comentários

Discussão
cezinha
22/01/04 às 02:47

Não sei se isso funciona aqui no Brasil em termos de Web, muito tem se falado de usabilidade, mas ainda não encontrei nenhuma empresa brasileira que faz testes de usabilidade em sites, ou mesmo com softwares. Em termos de design do produto não posso ter tanta certeza já que não é tanta a minha praia.. Seria bom se começassem a aplicar testes assim.


Discussão
Frederick van Amstel
22/01/04 às 02:56

Olha, cezinha, mesmo na precariedade eu tenho feitos alguns pequenos testes aqui na agência e tem dado resultado. É algo fácil que qualquer designer pode implantar, basta querer.

Existem já uma quantidade considerável de empresas nessa área. Uma que eu conheço bem é a www.sirius.com.br. Eles fazem testes de usabilidade para clientes como Banco Central, ShopTime, Ministério da Saúde e outros grandes. A www.usability.com.br, do blog que eu linkei nesse post também trabalh com eles e faz testes. Por fim, as grandes agências de Internet também fazem seus testes. Só não ponho minha mão no fogo pela sua metodogologia!


Discussão
cezinha
25/01/04 às 07:48

Já é um começo :)


Discussão
EDYR AFFONSO
23/01/06 às 10:19

BEM PARA QUEM NÃO SABE, PROFFISSIONALMENTE UM DESIGNER, SEJA DE PRODUTO, SEJA GRÁFICO, TEM NA FACULDADE ENTORNO DE 5 A 6 CADEIRAS DE PROJETO. ONDE DA ÊNFASE AOS RELATÓRIOS, RELATÓRIOS ESTES QUE SEM ELE SERIA IMPOSSÍVEL O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTO.
POIS É NO RELATÓRIO, ONDE ENTRA: A PROPOSTA(É ONDE VOCÊ AGARRA O CLIENTE), O CRONOGRAMA(IMPORTANTÍSSIMO P/O CLIENTE), A PROBLEMATIZAÇÃO, ANÁLISE/APRECIAÇÃO ERGONÔMICA, PESQUISA DE MERCADO, ESTATÍSTICAS, MATERIAIS E PROCESSOS DE FABRICAÇÃO, GERAÇÃO DE ALTERNATIVAS, DESENHOS TÉCNICO (AH!! EM DESIGN GRÁFICO E WEB TEM DESENHO TÉCNICO), DADOS TÉCNICOS, SÍNTESE, BIBLIOGRAFIA, ATÉ CHEGARMOS NOS MOCK-UPS, PROTÓTIPOS. PARA ASSIM TERMOS A CERTESA DE ESTARMOS ATENDENDO O NOSSO CLIENTE.
ENTÃO É AI QUE ENTRA A USABILIDADE, POIS USABILIDADE NADA MAIS É, DO QUE COMO SERÁFÁCIL O USO DE UM PRODUTO, SEM QUE CAUSE PROBLEMAS AO USUÁRIO.

ENTÃO, COMO DIRIA LE CORBUSIER " A FORMA SEGUE A FUNÇÃO"

EDYR AFFONSO
É DESIGNER DE PRODUTO E ERGONOMISTA




Comente.






(aguarde que é demorado mesmo...)


Você merece.

Assine nosso conteúdo e receba novidades sem sair de casa!

Atualizado com o Movable Type.

Alguns direitos reservados por Frederick van Amstel.

Apresentação do autor | Consultoria | Portifólio | Política de Privacidade | Contato