Usabilidoido: Menu Principal

English Website


Teorias de Interação Humano-Computador

Processamento da Informação e Atividade.

Ser-humano em duas visões

Depois de apresentar as diferentes abordagens que conheço em Design de Interação, aprofundei com meus alunos as duas principais teorias que permeiam as abordagens. Embora Interação Humano-Computador seja uma área multi-disciplinar, as teorias psicológicas são muito usadas para fundamentar pesquisas nessa área.

Da Psicologia Cognitiva veio a Teoria do Processamento de Informação e da Psicologia Sócio-Histórica, veio a Teoria da Atividade. Embora Design de Interação seja uma área prática - diferente de IHC que é científica - essas teorias são muito importantes porque delineiam as metodologias, métodos, técnicas e princípios empregados na prática.

Psicologia aplicada ao Design de Interação from Frederick van Amstel

Slides [PDF] 6 mb

A Teoria do Processamento de Informação é a mais conhecida (e muitas vezes a única). Ela se baseia na premissa que a mente humana é um processador extremamente complexo de informações. No entanto, se subdividimos seus componentes e descobrirmos como eles se relacionam, é possível compreender o funcionamento da mente. Os cientistas observam o comportamento, formulam modelos abstratos de funcionamento e rodam experimentos para tentar comprová-los. Essa teoria possibilitou o desenvolvimento das seguintes coisas, por exemplo:

Já a Teoria da Atividade é menos conhecida, mas também influente. A idéia principal é que o sujeito é construído socialmente através da interação com seus pares, sempre mediada por instrumentos ou signos. A consciência se manifesta na atividade (social) e, consequentemente, a constituição mental de um indivíduo é delineada pelas atividades em que ele participa. Para investigar a mente, é preciso investigar o locus social dos indivíduos e, principalmente, suas atividades. Essa teoria possibilitou o desenvolvimento das seguintes coisas, por exemplo:

Conhecer estas duas teorias é fundamental para o designer de interação ser crítico em relação à sua prática e, principalmente, com as conceitualizações ingênuas de sua prática. O designer praticante não é um teórico, portanto, não precisa ficar preso a nenhuma dessas correntes e sim, aproveitar suas contribuições.

[ Download vídeo ]

Áudio [MP3] 51 mb


Dicas

Siga-me no Twitter, Facebook, LinkedIn ou iTunes.

Autor

Frederick van Amstel - Quem? / Contato - 10/08/2008

Palavras-chave

teoria    cognição    atividade    ihc    

Opções



Comentários

Discussão
Cescapi
19/08/08 às 21:31

Muito bom, mas acredito que o post tem uma idéia meio utópica/fantasiosa. Na prática o que vai acontecer é que iremos para outro lado.

(e nem sei nada de design) haha


Discussão
Bruno Castro
20/06/09 às 12:58

Sei que é só o começo mas:
Entro em extase só de pensar em como um animador vai interegir com seu personagem quando disponibilizarem telas touch-screen multi-touch. Imagine vários dedos guiando varios movimentos simultanemente.
.
..
...Putz


Discussão
Robson
09/03/10 às 16:41

Acho que a frase "O Pé do tamanho de um sol", fragmento de Heraclito, nos mostra toda a complexidade da psique humana frente a desafios sociais e de desenvolvimento da individualidade.

Vale lembrar em termos de dialética, de Hegel:

De todo modo, a dialética é uma das muitas partes do sistema hegeliano que foi objeto de má compreensão ao longo do tempo. Possivelmente, uma das razões para isto é que, para Hegel, é preciso abandonar a idéia de que a contradição produz um objeto vazio de conteúdo. Ou seja, Hegel dá dignidade ontológica à contradição, bem como ao negativo.


ABS
Robson de Mileto


Discussão
Wellington Pinto Oliveira
24/08/12 às 21:52

Estamos montando um canal no Youtube sobre Interação Humano-Computador baseado no livro do autor David Benyon, segue o link:

http://www.youtube.com/playlist?list=PL702DA056109B30A3


Obrigado a todos.




Comente.






(aguarde que é demorado mesmo...)


Você merece.

Assine nosso conteúdo e receba novidades sem sair de casa!

Atualizado com o Movable Type.

Alguns direitos reservados por Frederick van Amstel.

Apresentação do autor | Consultoria | Portifólio | Política de Privacidade | Contato