Usabilidoido: Menu Principal

English Website


Arquitetura da Informação comparada

Vocês lembram das análises heurísticas dos portais de universidade né? Pois bem, agora comparei a arquitetura da informação do website da UFPR com similares. A análise heurística foi fácil porque é mais fácil encontrar defeitos na capa do livro do que no seu conteúdo, ou melhor, na sua organização.

Como nunca tinha lido nada sobre esse tipo de análise, fiz umas buscas tentando encontrar algum procedimento semelhante à análise heurística, mas que não fosse apenas uma lista de verificação (checklist), para que me desse margem à comparações mais qualitativas.

Por coincidência, poucos dias antes, Louis Rosenfeld havia publicado o que parece ser as primeiras heurísticas para a Arquitetura da Informação de websites:

  • Página principal
  • Interface de busca
  • Resultados da busca
  • Navegação global (site-wide)
  • Navegação contextual

Apesar de boas, elas estavam direcionadas mais para uma estratégia de baixo pra cima do que cima para baixo. Explico.

Como estou analisando os websites do lugar de quem vê de fora, não tenho acesso aos procedimentos utilizados para a construção do website, a tal da estratégia de baixo para cima (ou no inglês bottom-up). Não sei os metadados, o algoritmos das buscas e etc. Porém, posso analisar o website à partir daquilo que vejo, penetrando até onde der. Isso é de cima para baixo (top-down). Posso analisar os rótulos, os menus de navegação, os agrupamentos, a hierarquia e vários outros aspectos da arquitetura.

Continuei buscando e acabei caindo em dois documentos da extinta Argus, empresa líder em Arquitetura da Informação que era liderada por Rosenfeld. No primeiro, o autor ergue os critérios primários para serem analisados numa arquitetura da informação:

  • Estrutura
  • Agrupamento
  • Rotulação

Gostei bastante, mas as técnicas de avaliação que o autor sugeria eram baseadas em testes com usuários reais, algo que eu não estava disposto a fazer só para o Benchmark. Queria fazer uma exper-review mesmo.

Foi então que encontrei o irônico paper de Chiara Fox e Keith Instone intitulado Uma análise da Arquitetura da Informação dos maiores analistas de negócios. Irônico porque eles estavam usando as mesmas armas analíticas desses caras para mostrar que eles não seguem estritamente o que pregam.

A forma como fizeram a comparação foi bem colocada. Escolheram os seguintes aspectos:

  • Navegação global
  • Navegação local
  • Navegação contextual
  • Navegação suplemental
  • Busca
  • Organização de cima para baixo (top-down)
  • Organização de baixo para cima (bottom-up)
  • Rotulação

Bem mais compreensivo do que as heurísticas de Rosenfeld, mas muito atrelado à funcionalidades e não a conceitos, que são mais permanentes. De qualquer forma, apresentaram tabelas com pequenos comentários comparando os 6 sites analisados em cada um dos critérios. Logo abaixo explicam as consequências dos problemas nesses critérios. Recomendo imensamente a leitura para qualquer um que deseja ingressar ou já faz parte do ramo de Arquitetura da Informação, pena que está em inglês.

Mas não tem problema, em português tem pelo menos o meu relatório sobre o site da UFPR [DOC] Não fui tão criterioso e preferi uma análise mais qualitativa, mas usei os critérios acima para comparar. Tentei ser bastante persuasivo na minha análise, insistindo nos pontos fracos da arquitetura atual. Achei bem interessante criar cenários fictícios para ilustrar meus argumentos. Torna mais paupável os conceitos de Arquitetura da Informação para o leigo.

Se todo novo website fizesse uma análise dessas antes de ser desenvolvido, tenho certeza que a Web avançaria muito mais rápido, porque os erros seriam superados e os acertos mantidos.

Se algum leitor precisar desse tipo de serviço ou quer aprender a fazer, lembre-se, estamos aí para isso mesmo.


Dicas

Siga-me no Twitter, Facebook, LinkedIn ou iTunes.

Autor

Frederick van Amstel - Quem? / Contato - 15/09/2004

Palavras-chave

arquitetura    informação    comparação    comparada    comparar    evaluation    análise    analisar    organização    organizar    

Opções



Comentários

Discussão
Sérgio Jardim
15/09/04 às 23:56

Muito bom o seu documento, Fred. Levantou os pontos muito bem. Parabéns cara! :)

Uma dúvida que me lembrei agora, o que você acha da estrutura do menu principal do site da Faculdade Pitágoras : www.faculdadepitagoras.com.br

Usaram um tipo de abordagem verbal que é interessante, mas não sei se é adequada. Você tem algum link a respeito desse tipo de navegação?

Aquele abraço!


Discussão
Guilherme Mendes
16/09/04 às 05:01

Fred, até copiei o texto para ler com calma. Muito bom.

Sérgio, já me metendo, achei muito interessante a forma como os tópicos estão denominados. Acredito que eles só sejam efetivos pq possuem um complemento ao passar o mouse.


Discussão
Gustavo Cardoso
16/09/04 às 07:38

Ótimo como sempre...Porem como disse no fim do artigo... eu estou a fim de aprender sim...
Tem alguns textos que poderia me indicar e de preferencia em portugues???
Muito obrigado

[]´s


Discussão
Fred
17/09/04 às 05:52

O menu da Faculdade Pitágoras tem um impacto inicial muito positivo, mas acredito que nesse tipo de website, não é apropriado. Esse tipo de criatividade é interessante em hotsites, não em websites institucionais.

O problema dele é que prejudica a formação de um modelo mental prático. Como está fora do padrão, o usuário precisa aprender a formular uma nova forma de encontrar uma informação. Isso o obriga a ver todas as opções disponívels para poder entender como funciona o menu. Ou seja, ele vai precisar passar o mouse sobre todos as opções do menu. Isso é desperdício de tempo.

Vamos usar um cenário: "um aspirante a aluno entre no website querendo saber quais são os professores do curso. Ao se deparar com o menu diferente, ele passa o mouse por cima da primeira opção e já acha o que quer. Porém, alguns dias depois, ele quer rever essa mesma página dos professores, mas não lembra exatamente onde viu aquela página. Como já conhece como funciona o menu, dispensa a fase exploratória e decide escolher uma opção direto. Será que ele procura em "SAIBA quem são os professores" ou "CONHEÇA os professores" ou, na pior das hipóteses, "ESCOLHA seus professores". É possível que ele teste cada uma delas até achar."

Essa não é uma abordagem prática. Menus de navegação em sites institucionais devem ser práticos e diretos, enfim, transparentes. Melhor usar rótulos descritivos e concisos. Deixemos para inventar moda em hotsites.

Gustavo, dei umas dicas num comentário em outro post sobre arquitetura da informação justamente sobre como saber mais sobre o assunto:

http://www.usabilidoido.com.br/arquitetura_da_informacao_e_de_interacao.html#437

Mas não se anime muito, o material em português é ainda muito escasso. Tínhamos que organizar uns cursos aí por esse Brasil à fora, ou quem sabe, uns cursos online.


Discussão
Sérgio Jardim
17/09/04 às 11:37

Fred, concordo com você sobre o problema na pregnância do modelo mental. Ou seja, o usuário pode não se lembrar exatamente do lugar onde estava a informação se deixa de entrar no site num periodo superior a 3 semanas por exemplo.

Mas acredito que para esse site, que é relativamente pequeno, essa estrutura de navegação é aceitável pois apesar de perder um pouco, pouco mesmo, em praticidade, ganha em criatividade (diferenciação) pois é um dos objetivos do site (vide o flash à direita no topo e que está presente em todas as paginas, mudando seu conteudo de pagina a pagina).

O site busca diferenciar a instituição das outras de mesmo segmento e acho que conseguiu.

Resumindo, o menu funciona para este site em específico e poderia daria errado em outros, como o da UFPR.

Aquele abraço!


Discussão
Marcelo Linhares
17/09/04 às 15:30

"...Mas acredito que para esse site, que é relativamente pequeno, essa estrutura de navegação é aceitável pois apesar de perder um pouco, pouco mesmo, em praticidade, ganha em criatividade (diferenciação) pois é um dos objetivos do site (vide o flash à direita no topo e que está presente em todas as paginas, mudando seu conteudo de pagina a pagina)..."

Sérgio, acredito que a perda não seja mínima como você está afirmando, em sites institucionais o ojbetivo é a INFORMAÇÃO, a intenção da "Criação" para representar a imagem da faculdade é boa, mas há lugares melhores para inovar do que o MENU...

MENU = NAVEGAÇÃO...

Plagiando Steven Krug...

"É válido tentar inovar no menu, desde que sirva para otimizar a navegação (diminuir o esforço fisíco e cognitivo), caso contrátrio é melhor utilizar as convenções"



Discussão
Fred
17/09/04 às 20:43

Para saber se a perda em usabilidade seria grande ou pequena, só fazendo testes. Não adianta especular. Mas que há perda, há, como o próprio Sergio concordou.

Porém, como disse o Marcelo, o objetivo de um site institucional deve ser informacional e não promocional, mas parece a faculdade Pitágoras ainda não entendeu isso. O site continuaria a ser persuasivo se separasse conteúdo promocional de conteúdo informacional criando um hotsite para o vestibular, ou dando destaque a determinados cursos ou o que seja.

Lá eles podem usar aquele pimentão ridículo bem grande e até mesmo como metáfora de navegação. Mas, na primeira página um pimentão desses só prejudica a imagem de uma instituição séria e que trata de um assunto sério.

Na primeira vez que o vi o site não percebi isso, mas depois dessa discussão me lembrei qual é o verdadeiro problema do site da Pitágoras. Não é o menu de navegação, esse é só o desdobramento de um problema maior: o modelo de negócios da empresa.

O site deles é voltado para quem ainda não é aluno, ou melhor, freguês. Depois que o cara tá dentro, o conteúdo aberto disponível é escasso. Talvez aquele login leve a uma área de apoio aos estudantes, mas de qualquer forma é uma péssima abordagem exigir uma senha para navegar num website.

Não tenho evidências suficientes para afirmar isso com clareza, mas o website dessa faculdade dá a clara impressão de se tratar de um supermercado de diplomas. Pagou-passou-se-formou. Bem, deixa eu parar meus impulsos políticos por aqui...

Interessante onde essa discussão toda nos levou, hein? Bem que o Morville e o Rosenfeld falaram no livro deles: Arquitetura da Informação está intimamente ligada aos Negócios. Dedicaram um bom capítulo só sobre esse assunto.

Os primeiros livros conceituais que li sobre Internet tratavam justamente sobre esse assunto: Release 2.0, NetGain, Como Vender seu Peixe na Internet e etc. Na época, não entendi bem porque estava lendo, mas agora estou bem satisfeito por tê-lo feito. E lerei mais sobre o assunto.


Discussão
Marcelo Linhares
19/09/04 às 16:47

"...Não tenho evidências suficientes para afirmar isso com clareza, mas o website dessa faculdade dá a clara impressão de se tratar de um supermercado de diplomas. Pagou-passou-se-formou..."

Um colega meu foi nesta faculdade "conhecê-la" e diz ele que quase saiu de lá matrículado, hehehehe, a dita "avaliação curricular" é simplesmente uma avaliação financeira.

Esta impressão que você teve FRED, condiz corretamente com a instituição.


Discussão
Fernando Lima
04/01/06 às 17:14

Fala Fred,

Me deparei com a necessidade de ter que avaliar a AI um site que vai ser reformulado pela empresa que trabalho. Se fosse usar parâmetros somente de Usabilidade (embora os assuntos estejam profundamente interligados) seria mais tranquilo pra mim.

O seu artigo me ajudou muito a achar o caminho das pedras. Como está sendo minha primeira análise em AI, senti muita dificuldade em entender alguns parâmetros enunciados no paper de Chiara Fox & Keith Instone, como as orgalizações up-down e bottom-up. Entretando me pareceu mais simples para eu me basear e redigir a minha própria análise do que a sua análise sobre os dites das universidades.

Talvez isso se deva ao fato de, além da minha falta de experiência, a sua análise tender para aspectos qualitativos. Você mencionou que o paper de Chiara Fox & Keith Instone está muito atrelado a funcionalidades do que conceitos. Essa parte não ficou muito clara pra mim. Você poderia dar uma luz sobre a questão?

Obrigado e abraço,


Discussão
Fred
04/01/06 às 17:51

Minha análise tinha a intenção de bater num ponto crucial para a pesquisa: o espelhamento da estrutura da organização na navegação do website. Utilizei todos os recursos persuasivos que pude para argumentar que isso não era uma boa escolha para o portal de uma Universidade. Por esse motivo, não serve como modelo para analisar outros sites.

No caso do paper da Argus, eles focaram em recursos que podiam ser observados nos sites daquela época (navegação contextual, ferramenta de busca e etc). Se tivessem focados em conceitos abrangentes, como é o caso das heurísticas do Rosenfeld, o mesmo esquema de análise poderia ser utilizado para avaliar uma aplicação social baseada em folcsonomia, clusters e hipertexto.

Não estou dizendo que é ruim o esquema deles, estou dizendo que ele é limitado. Se o seu site só tiver aqueles aspectos para serem avaliados, então o esquema é adequado.


Discussão
Fernando Lima
05/01/06 às 11:56

Valeu a explicação. Achei o paper um tanto anacrônico mesmo, mas acho que vai servir para o que pretendo, pelo menos por enquanto.

De qualquer forma vou me aprofundar e ler as heurísticas do Rosenfeld para o assunto. E isso vai levar mais tempo do que disponho no momento, infelizmente.

O uso de cenários no seu trabalho realmente foi persuasivo. Tornou o relatório mais interessante de ser lido por pessoas fora da área de AI ou Usabilidade.


Discussão
Gustavo
04/06/06 às 00:04

Com relação ao site da Faculdade Pitágoras, a conclusão que vocês chegaram, é a de que o site, realmente, perde bastante em usabilidade pelo menu "inovador". Certo?

Alguém aqui já tentou acessar o site da Faculdade Pitágoras através do Firefox 1.5.0.4? Pode ser que esteja acontecendo apenas comigo e, este passaria a ser apenas um evento isolado. Mas, o fato é que a animação em Flash no centro do site está sobrepondo as opções do "menu-criativo" deste site.

Conclusão: Além de pouco usável, ainda por cima é bugado!!

OBS.: Este não é o primeiro site que acesso que comete o deslize de posicionar um objeto Flash ou Shockwave abaixo de menus DHTML. Eu, particularmente, estou evitando esta prática ao máximo...

Alguém já teve a mesma experiência?


Discussão
Northon
23/07/06 às 20:03

Caramba! Realmente, com o Firefox 1.5 não se consegue visualizar as opções do menu!
Muito legal o artigo. Agora vou ler o doc. A propósito, o site da minha universidade também é muito ruim de navegação(http://www.uepg.br), mas ainda não sei dizer o porquê. Vou estudar mais a respeito. :-)


Discussão
FelipeMorais
24/07/06 às 01:12

Olá, pessoal.
Estou estudando um pouco sobre AI, e achei o blog bastante interessante, pois é um dos mais completos no assunto.
Bom, gostaria de começar fazendo uma analise sobre o site citado acima (www.uepg.br ), porém são tantos erros que fica dificil apontar um que seja "crítico". Todos são.
Erros desde a AI ao design final (se é que houve).
Vou formular um pequeno relatório com algumas explicações sobre minha opinião, se acharem que estou errado por favor comentem.
Sobre a AI (na verdade gostaria de saber se a aI avalia esses aspectos):
1- Qual a necessidade de mostrar a data e hora, ainda mais no topo? ja não temos relogio no Sistema operacional? (com excessão de site que ofereçam informação sobre o tempo).
2- Uma caixa de busca do Google e no topo?
3- Menus em texto, figuras, dropdown, expansiveis, rotativo... ufa!
4- Links repetidos. (por exemplo, podemos acessar o link cursos atravéz do "Cursos" na menu do lado direito e do "A UEPG" também do lado direito.
5- Links úteis? já não ha links suficientes?
6- O endereço é colocado no topo e no rodapé.
7- No menu superior, o "webmail" mostra alguns links, ou melhor não mostra, pois eles ficam atras da caixa de dropdrow.
8- Olhando a subpagina dos cursos notei que:
8.1- O curso de informatica esta junto com agronomia, CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLOGIA.
8.2- Os frames estão mal posicionados e por isso não é possivel visualizar todos os links, sem contar a desordem como estão expostos.

É isso pessoal, aguardo a resposta de vocês.
Obrigado pela atenção!


Discussão
léo fernandes
15/08/06 às 00:17

oi mestre, estava fazendo uma pesquisa sobre arquitetura de informção e lembrei de vc!
parabéns pelo site, muito bom..


Discussão
Ceila Santos
05/06/08 às 16:20

O que seria a navegação suplementar?




Comente.






(aguarde que é demorado mesmo...)


Você merece.

Assine nosso conteúdo e receba novidades sem sair de casa!

Atualizado com o Movable Type.

Alguns direitos reservados por Frederick van Amstel.

Apresentação do autor | Consultoria | Portifólio | Política de Privacidade | Contato