Projetando interações opressivas e libertárias com o corpo consciente

Teatro vigilancia pequeno

Artigo apresentado no XVI Simpósio Brasileiro de Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, o IHC 2017.

Resumo

O computador que oprime usuários através de interfaces mal projetadas é uma alegoria recorrente na literatura de Interação Humano-Computador. Analisando esta relação de opressão pela pedagogia crítica de Paulo Freire é possível afirmar que computadores não são por si só opressores, mas podem ser considerados opressivos se instrumentalizarem a opressão de um grupo social por outro. Este artigo apresenta a proposta alternativa de apropriar-se do computador como um espaço de possibilidades para superar a relação de opressão, tal como o Teatro do Oprimido de Augusto Boal. Um experimento de pedagogia crítica em Design de Interação confirmou a efetividade do corpo humano como fulcro de projeto e como trampolim para a superação de opressões mediadas pelo computador.

Projetando interações opressivas e libertárias com o corpo consciente [PDF] 10 páginas

Slides

Áudio

Projetando interações opressivas e libertárias com o corpo consciente [MP3] 20 minutos

Como citar

GONZATTO, Rodrigo; VAN AMSTEL, Frederick M.C. Designing oppressive and libertarian interactions with the conscious body. Anais do 16o. Simpósio Brasileiro de Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, Joinville, 2017.

Fred van Amstel ([email protected]), 30.10.2017

Veja os coment?rios neste endere?o:
http://www.usabilidoido.com.br/projetando_interacoes_opressivas_e_libertarias_com_o_corpo_consciente.html